09/06/2017

O que eu li em: Abril e Maio

Seguimos com minha meta de ler dois livros por mês. Deu certo dessa vez? Não tanto, mas valeu a pena :)
No post de hoje vou mostrar pra vocês o que li em Abril e Maio.


Abril

Dessa vez não consegui tirar foto dos livros individualmente (as gatas não deixaram), então vou colocar uma foto ilustrativa, ok?


Em Abril comecei a me "torturar" lendo Injustice. Digo tortura porque a história não está completa em português (acabaram de lançar o ano 2 aqui), e vamos ter que aguardar com ansiedade o desenrolar dos fatos (e eu não tenho maturidade pra isso haha). Segue a sinopse:

Superman é o maior herói da Terra. Mas quando o Homem de Aço não consegue proteger aquilo que mais ama, decide parar de tentar salvar o mundo... e começa a governá-lo. Agora, o Último Filho de Krypton está impondo a paz na Terra por todos os meios necessários. Só um homem se coloca entre Superman e seu poder absoluto: Batman. O Cavaleiro das Trevas vai usar qualquer método ao seu alcance para impedir seu ex-amigo de remodelar o mundo à sua imagem despedaçada...

Eu não sou uma super fã da DC, geralmente leio mais Marvel. Principalmente quando se trata do Superman, ele é o herói que eu menos gosto. Acho ele chato e sem graça, então nem costumo ler algo que seja só dele. Mas nessa história em especial eu consigo suportar o fato de ler algo sobre ele, e de odiá-lo por uma boa causa. Pra mim ele ganha mais personalidade e atitude (mesmo que sejam ruins), e ver o Batman (um dos meus heróis favoritos) lutando contra ele é formidável. Ele é inteligente demais! É muito legal ver a mudança do Superman, fiquei chocada em várias partes, porque não achava que ele era capaz de algumas coisas. E a HQ acaba no nada, fazendo você odiar o fato de não ter a continuação pra ler. Enfim, muito boa, mesmo!



Sim, acreditam que eu ainda não havia lido Extraordinário? Se você é como eu, só posso dizer que esse é um dos livros mais lindos e leves que eu já li. Segue a sinopse:

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade - até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente - convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Não dá pra explicar o que você sente depois de ler esse livro. Ver a forma como o Auggie lida com as dificuldades com uma certa... inocência (?) faz você pensar se realmente tudo precisa ser a ferro e fogo. Será que é possível relevar mais coisas? Não implicar com tudo...perdoar sinceramente... e até aprender a se colocar no lugar dos outros, mas de verdade, não só da boca pra fora. O fato de você ler o ponto de vista de cada pessoa em certos capítulos te força a isso, e você percebe que o mundo não gira ao redor do seu umbigo. E por mais que muitas vezes você tenha razão, é melhor escolher ser gentil.


Maio


Nunca pensei que gostaria tanto de ler um livro em que o tema principal é robótica. E pasmem, no primeiro conto eu até chorei. Segue a sinopse:

Sensíveis, divertidos e instigantes, os contos de “Eu, robô” são um marco na história da Ficção-cientifica, seja pela introdução das célebres Leis da Robótica, pelos personagens inesquecíveis ou por seu olhar completamente novo a respeito das máquinas. Vivam eles na Terra ou no espaço sideral; sejam domésticos ou especializados, submissos ou rebeldes, meramente mecânicos ou humanizados, os robôs de Asimov conquistaram a cabeça e a alma de gerações de escritores, cineastas e cientistas, sendo até hoje fonte de inspiração de tudo o que lemos e assistimos sobre essas criaturas mecânicas.

Comprei esse livro por indicação (se não me engano da Melina, ou da Mari Santarém), e gostei demais da escrita. Eu demorei bastante pra ler ele porque realmente não estou acostumada com o tema, então sabe quando você tem se concentrar bem? As vezes quando eu leio livros juvenis, ou que são mais "bobinhos" eu desligo a mente, e leio por puro entretenimento. Não foi o caso desse, mas mesmo assim a leitura é gostosa. Em várias noites eu cheguei a sonhar com o que estava lendo, e até comecei a colocar na minha wishlist outros livros do autor.


Esses foram os livros que eu li nos últimos dois meses. Eu sei que meu ritmo de leitura é lentíssimo perto do de algumas pessoas, que conseguem ler 10 livros no mês, até mais. Mas eu sou realista comigo, e tenho outros afazeres, então não me frusto tentando fazer algo que simplesmente não rola pra mim. Enfim :)


Espero que tenham gostado do post, e das indicações :)
Beijo!

3 comentários:

  1. Também nunca li extraordinário, e também prefiro marvel kkkkk

    nayanemartins.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk ai Nay, lê Extraordinário, você vai gostar!

      Excluir
  2. Desses que você leu já li "Extraordinário" e "Eu, Robô". Quando li esse último, há uns 11 anos atrás, minha sensação foi que nem a sua! hauhauha Me apaixonei por ficção científica por causa desse livro. Vale a pena conferir os outros livros do Asimov, o cara criou um universo muito amplo e histórias incríveis partindo das 3 leis da robótica.

    www.lidiarayanne.com.br

    ResponderExcluir