02/10/2015

Por que nos apegamos tanto?


Nesse momento acabei de assistir dois dos episódios mais tensos de Grey's Anatomy (pra quem já assistiu, estou na sexta temporada, episódios 23 e 24. E se você não lembra quais episódios são esses tenho certeza que a palavra atirador vai refrescar muito sua memória.

Eu sei que a situação essa semana não tá fácil pra mim. Tô de tpm, tô mal e chorando até por estar calor. E também estava ciente de que essa série ia fazer meu coração sofrer muito, recebi alertas de vários amigos. Mas gente, como assim? Me vi chorando até por gente que eu odiava com todas minhas forças (vide Alex e invasores do Mercy West).

O pior de tudo não é chorar, é chorar com seu marido rindo da sua cara e dizendo: É tudo mentira amor, calma. Queridinho, eu sei que é ficção, me deixa.


O fato é que eu sempre tenho uma crise existencial depois que acaba um episódio desses numa série. Passada a crise que eu tive hoje (que incluía tentar fazer mais as coisas que eu gosto antes de fatalidades acontecerem, nunca sabemos o dia de amanhã e etc...) somando a isso aquela dor de cabeça típica de muito choro e uma vontade ainda maior de comer doces, eu pensei: Cara, por que eu tô chorando? Como eu cheguei nesse nível? Eu conheci essas pessoas no mês passado, era pra eu estar sentindo isso por elas?


Na verdade é muito fácil pra mim acompanhar o drama da Yang (cito ela porque não tenho muita paciência pra Meredith, apesar de que nesse episódio fiquei morrendo de dó dela :/). Eu simplesmente esqueço da minha vida e dos meus dramas, enquanto assisto 4, 5 episódios, um atrás do outro.


Isso é ruim? Não. Eu sei que meus problemas estão lá e não vão sair de lá enquanto eu não resolvê-los. Porém me desligar assistindo dramas de pessoas que não existem me ajudam a resolver o que eu realmente posso resolver, sem gastar tempo só pensando e pensando em problemas que estão muito além da minha capacidade. É igual quando falam pra você separar seus problemas por prioridades sabe? E mandam você guardar numa caixinha tudo que você não pode resolver. As séries são minhas caixinhas, e eu recomendo pra quem passa tempo demais pensando em coisas chatas. Assistam séries, ou se distraiam com qualquer coisa que vocês gostem. Assim você passa menos tempo reclamando da vida e o tempo que te sobra você resolve o que tem poder pra resolver.

2 comentários:

  1. Minha querida, sei bem o que é assistir os finais das temporada de Grey's e querer me jogar de um precipício logo em seguida. HAHAHAHA E o final desta sexta temporada é de colocar o coração de qualquer um na manteiga como coração de galinha mesmo. Olhe, já estou na décima segunda temporada e só digo uma coisa para você: coragem! Porque haverá cenas mais para a frente que você vai querer matar a Shonda, uehuehueheu. Obrigado pelo post inspirador, grande beijo.

    Ps: adorei conhecer o blog. <3

    Ewerton Lenildo - Viajante das Letras.
    viajantedasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Estou na nona temporada e sempre que me apego a algum personagem penso: Será que ele vai sobreviver?
    Mas algo que notei nessa série é que apesar dos dramas eles tratam os finais desesperadores com uma certa leveza, e gosto muito do fato de cada episódio trazer algo para refletirmos :)

    ResponderExcluir