22/09/2015

All your worries, leave them somewhere else

Olá pessoas.

Mais uma vez eu sumi daqui e não queria simplesmente falar que eu tô de volta de vez porque pode ser que isso não aconteça. Eu não ando bem, física e mentalmente falando. Eu tenho me sentido muito cansada, e minha saúde não está das melhores, eu passo vários dias deitada com dores no joelho e até pra digitar aqui tá difícil por causa de dores nos braços. Tenho me forçado a sair de casa porque não faz bem pra mente ficar só olhando paredes brancas, não é mesmo? E isso tem sido bom e ruim (mais bom do que ruim, ainda bem!).

Eu sei que eu estou assim porque eu sou negligente, sou daquele tipo que vai no médico quando tá morrendo, sabe? E já era pra eu ter cuidado de tudo isso há muito tempo, mas eu sou tão trouxa! Parece que pago pra ver até quando eu aguento. E esses problemas tem me deixado mal mentalmente. Mas também não sou do tipo que fala como está se sentindo emocionalmente (prova disso é que esse é o primeiro post que eu tô realmente falando como eu tô me sentindo). Eu tenho uma barreira pra desabafar. Prefiro guardar tudo só pra mim, não gosto de preocupar as pessoas. Uso outros métodos pra extravasar o que sinto, e uma das formas que faço isso é desenhando.



O problema é que nem isso eu tava conseguindo fazer. Estava há vários dias sem rabiscar nada, entupida até a boca com o que eu tava sentindo, até resolver que eu precisava fazer alguma coisa. Foi quando eu sentei na mesa e decidir não sair de lá até conseguir colocar pra fora um pouco do que eu sentia.


Claro que desenhar não acabou com meus problemas magicamente, mas olhando pro resultado... me senti exatamente assim. Me senti abrindo um potinho e colocando meus problemas pra voar.


 
Acho que eu sempre vou ter problemas pra me expressar verbalmente, sempre fui assim e sei que isso não vai mudar. Mas é muito bom ter uma válvula de escape perto de mim, pra extravasar sempre que eu precisar.


Desculpem qualquer coisa.
Beijo ❤

0 Comments:

Postar um comentário