16/01/2018

Sobre pequenas vitórias

Primeiro post de 2018!


Eu não pretendia começar o ano com um post desse tipo, mas é algo que quero me lembrar mais pra frente. É um dia importante pra mim.

Pra situar melhor o assunto, 2017 foi o ano em que meus problemas emocionais mais "afloraram". Eu ainda não quero aceitar muito bem o fato de estar doente, mas é um fato. Perdi muitos dias simplesmente sem querer sair da cama, sem tomar banho, indo trabalhar na minha mãe forçada porque meu marido não me aguentava mais me ver daquele jeito. Fui parar no hospital algumas vezes por causa da ansiedade... comecei a me tratar com algumas medicações mais fraquinhas, outras que me derrubavam. E eu só me sentia perdida. Parecia que as coisas iam acontecendo e eu tava enxergando tudo de fora.

Não sei qual foi meu estalo, o que aconteceu num determinado dia...mas chegou uma hora em que eu me vi e simplesmente não queria mais estar nessa situação. Não queria me entregar. Estava cansada de não conseguir lidar com aquilo. E comecei a pensar em pequenas coisas que podia fazer pra melhorar. Isso coincidiu com o finzinho do ano, onde estávamos fazendo um balanço do que conseguimos realizar na loja, e planejamos algumas coisas pro ano seguinte. Fiz algumas metas, e vou falar mais delas em outra ocasião. Mas vamos finalmente para o que eu queria falar quando comecei esse post.

Durante os dias em que estava pensando nas metas, passei a me observar mais, e tentei reparar nas coisas que me ajudam a ficar pra baixo. Uma delas é ter que trabalhar em casa. Veja bem, eu gosto muito do meu trabalho, gosto do fato de trabalhar com a minha mãe e estar num ambiente que é uma zona de conforto. Só de sair de casa pra ir pra lá, pegar o ônibus, ver pessoas... por mais difícil que seja fazer isso nos dias em que não tô legal, já ajuda entende? Porque eu obriguei meu corpo a sair. Mas em alguns dias eu preciso trabalhar em casa. Seja porque eu preciso do meu computador, seja porque minha mãe tem algum outro compromisso, e eu não tenho como ir pra lá...por ~n~ motivos. As vezes preciso trabalhar em casa. E esses dias são os piores. Quando tenho que trabalhar aqui me sinto solitária. Na maioria das vezes meu marido está dormindo pra poder trabalhar à noite, e fica um silêncio. Eu coloco uma música, um vídeo...mas sei lá. De nenhuma forma consigo fazer o serviço render. Então quase todas as vezes o que eu faço? Durmo até meio dia, como alguma coisa...as vezes volto pra cama e fico lá pensando: eu tenho insônia, faço tudo de noite mesmo. No fim das contas eu fico tão mal por não ter feito nada o dia todo, que só sinto pena de mim mesma e vou dormir de novo. Foram raras as vezes que consegui fazer meu serviço render.

Até hoje.

De ontem pra hoje dormi na minha mãe porque precisava terminar umas coisas, e vim pra casa na hora do almoço. Assim que entrei senti um enorme impulso pra deitar. As gatinhas estavam dormindo na cama e parecia tão aconchegante. Eu cheguei a sentar pra dizer pro Luiz que cheguei. Mas pensei: não, você consegue. Me olhei no espelho e estava esquisita. Fui dormir às 3:30 da manhã, então estava cheia de olheiras, desarrumada...vim de carro, então não precisava me arrumar pra vir.

Passei um batom vermelho, arrumei o cabelo e coloquei uma música alta. Sentei no computador, e tenho conseguido fazer tudo que precisava. Parei agora só pra deixar isso registrado. Quero olhar pra cá e ver que consigo.

Cada dia tenho feito algo diferente pra sair da minha zona de conforto, as vezes são coisas tão sutis que tenho até vergonha de falar e só guardo na mente. Até mesmo o que fiz hoje. Com certeza alguém pode pensar que isso é tão pequeno que nem valia a pena ser mencionado. Mas importa, porque hoje consegui vencer minha mente nessa batalha.

28/12/2017

Hotel Fazenda Saint Claire | Campos do Jordão

Se você já leu esse post aqui, viu que fizemos uma pequena viagem durante o nosso recesso de fim de ano. Queria mostrar mais do lugar...então preparei um post especial, até com vídeo! Milagres acontecem!



Esse hotel fica em Campos do Jordão, na realidade um pouco antes de chegar na cidade. Se você não estiver prestando atenção até perde a entrada (aconteceu conosco), ele é bem na serra mesmo, o que na minha opinião faz o lugar ser ainda mais lindo.

Quem vai pra Campos de bondinho consegue descer exatamente lá, já que a linha férra passa praticamente por dentro das dependências do hotel.


As instalações são bem grandes, os quartos são confortáveis. Tem sauna, piscina, salão de jogos...e é um lugar perfeito pra não fazer nada. Descansar de verdade, sabe? Nos dois dias que ficamos lá resolvemos não visitar o centro da cidade, apenas aproveitar a estadia, ficar off das redes... Então se você tá precisando disso, é um lugar perfeito.

Assim como quase todas as construções de Campos, a principal estrutura é feita de madeira. Os quartos são bem aconchegantes e quentinhos, e nos divertimos muito com o cachorro que fica por lá, que sempre estava correndo atrás dos coelhos.





Os funcionários são extremamente atenciosos e prestativos. Mas algo que eu quero destacar é o café da manhã, sim vou destacar a comida haha


O café é super variado, com vários pães, bolos, geléias feitos por lá...uma delícia <3
Além disso eles servem um chá da tarde de cortesia. Eu não sou a super fã dos chás, só tomo o matte normal mesmo. Mas que sensação gostosa é sentar com um chá e um caderninho de esboços em frente à essa vista! Queria isso todo dia #sonhadora


Claro que todo lugar tem seus defeitos. Esse hotel é bem antigo, ficou fechado por 5 anos e reabriram recentemente. Então precisa de algumas reformas, principalmente por ser feito de madeira, um material que precisa de cuidados constantes pra não estragar. É algo que se dribla facilmente, mas é necessário levar em conta antes de fazer a reserva.


Dá play no vídeo pra ver mais um pouco do lugar <3




Vocês já visitaram Campos do Jordão? Em que lugar gostam de passar as férias?
Beijo! ❤

22/12/2017

Look: Colheita de Flores | Conhecendo a peça


YAY!
Primeiro post com layout novo aqui no blog <3
Fiquei um bom tempo mexendo nele, queria que ficasse mais simples, sabe? Ainda tô arrumando alguns detalhes menores, mas são coisas que não interferem tanto na hora da leitura ;)
Espero que gostem dessas mudanças sutis! 

O post de hoje foi feito com muito carinho. Fizemos uma pequena viagem durante o nosso recesso na semana passada, e o lugar era tão fotogênico! Estou preparando um post sobre o hotel em que ficamos, porque é tão lindo que merece um post só pra ele!


No post de hoje vou mostrar os detalhes de um dos vestidos mais lindos da coleção, o Colheita de Flores.


Na hora da criação desenhamos um modelo bem delicado. Queríamos três coisas nele: uma manga diferente, botões na frente (pensando nas mamães), e que tivesse uma carinha de roupa antiga. Na hora de escolher o tecido confesso que não pensei que ficaria tão lindo (aquelas bem modestas haha). É que acho que o modelo encaixou tão bem com a estampa! Ficou delicado na medida, sem ser infantil, e com um tom de azul que fica lindo em todos os tons de pele <3


A manguinha tem uma prega na barra com um punho, e alguns franzidos que deixam a manga bufante, bem fofa.


A saia é pregueada à mão, midi e super rodada!



Os botões são forrados e pregados de uma forma um pouco diferente, de dois em dois.


Esse modelo, como a maioria da nossa loja, é feito por encomenda e pode ser totalmente personalizado: Mudar a estampa, o comprimento, os detalhes... é uma das vantagens de ter uma peça produzida de forma artesanal <3


Ele também tem um detalhe que quase todo mundo ama: uma faixinha removível. É um detalhe bem versátil porque você pode usar com o laço pra frente, nas costas, sem a faixa ou com um cinto. O que amplia o uso da peça.


Eu usei:

Chapéu | Bazar da Jess
Sandália | Mariotta


Espero que tenham gostado do post! 
Beijos!